Izabela Jaruga-Nowacka, uma das maiores vozes da defesa dos direitos lgbt na Polónia, estava entre os passageiros do Tupolev que ontem se despenhou e vitimou o presidente daquele país.

Jaruga-Nowacka, que desempenhou as funções de primeira-ministra indigitada entre 2004 e 2005, foi uma das pessoas que fez frente a Lech Kaczynski, que baniu oficialmente o Gay Pride de Varsóvia.

“Somos pela democracia. Pela protecção de todos os direitos humanos, não apenas por alguns grupos maioritários na Polónia. Todos os cidadãos têm o direito de escolher a sua forma de vida”, declarou na altura Izabela.

“Estou aqui para expressar o meu protesto contra a decisão do presidente [de banir as paradas lgbt], que é uma violação da constituição polaca e de direitos civis. Estou aqui para mostrar o meu respeito pela tradição polaca de tolerância”, contrapôs, em resposta à pretensão de Kaczynski de que a homossexualidade levará à destruição da raça humana.

A sua defesa dos direitos lgbt foi muito atacada pelos conservadores polacos.

(Fonte: LGBT News)