Ser mulher é uma coisa absolutamente encantadora, bela, sublime, um mistério para ser descoberto, apreciado e degustado todos os dias, com mimos, atenções e denodos redobrados. Ser mulher é bom. É arrebatador.

Mas na categorias das mulheres, existe um grupo que me deixa à beira da loucura e que mais não são que as famosas gajas.

E minhas amigas, não há gaja que se preze que uma vez por mês não sofra da tão famosa TPM.

Durante todos os anos da minha existência, tenho agradecido o não padecer de semelhante estado de fragilidade que, tanto quanto tenho visto e ouvido, provoca choros, conflitos internos, dúvidas existenciais, apatia fora do comum e uma profunda tristeza.  Resumidamente e bem feitas as contas, é uma semaninha para deitar fora. Quer isto dizer que no final do ano, doze semanas, ou seja, três meses, foram perdidos por conta de uma coisa pré.

Reparem bem, a gaja deita um quarto de ano à rua por algo que ainda não aconteceu. As coisas vistas assim parecem hilárias. (E depois a tarada sou eu?!?!)

Bom, não obstante tudo o que a medicina, desde a especialidade ginecológica até à vertente psiquiátrica, possa explicar, tenho para mim que TPM é um fenómeno no modo de funcionamento da gaja.

Ela vivência e padece as coisas que ainda não aconteceram e somatiza com elas.

E, aqui sim vem a parte onde quero chegar, é assim também no hamor. Uma espécie de TPM, de Tensão Pré Miséria, em que insiste e persiste em transformar a sua vida.

A gaja nunca sabe se quer, mas não sabe se não quer, pode ser mas se não for….e se for e não resultar….e depois como é que vai ser….mas será que ela também quer….e se depois se isto dá para o torto…mas será que gosto…..será hamor…..pode ser só amizade, não é?…..hummm, vamos esperar……não sei, preciso de pensar…..

Claro que sendo a gaja um ser atento, com sexto sentido e ainda por cima com genes de predestinação, por vezes transfere todas as suas angústias para o outro, ou outra, no sentido de lhe imputar parte das culpas, se não mesmo todas, da sua tensão de estimação.

Ela está diferente….eu sinto……as coisas já não são como antes……o que será que ela tem?……já não me hama, só pode ser isso……tem outra…..eu bem me tinha parecido….nada que eu já não estivesse à espera….

E com esta TPM mensal, trimestral, semanal, diária, o redor vai ficando um oásis de sentimentos, hamores e amigos, porque não há cristão que mereça uma gaja por perto.

Minhas queridas parceiras destas crónicas, fujam a sete pés destas gajas que vivem com o sentir centrado na futurologia que fazem de si mesmas e do alheio e que se impedem de viver o presente, independentemente deste ser o pré dia de amanhã, o pré futuro, o pré do que tiver que ser.