Este episódio que vos passo a contar é absolutamente verídico, passado comigo, escutado por estes ouvidos, vivido por esta alma incrédula.

Um dia destes, estando eu em amena cavaqueira com um colega de trabalho que muito estimo, sobre as idiossincrasias do comportamento masculino, sou brindada com a seguinte pérola:

“Não há nada mais importante para um homem do que a sua mulher e os seus filhos. Nada conta mais para um homem que os seus e a sua casa. Agora Pagu, ter uma amante é uma coisa normal para um homem. É assim uma coisa, uma galhofa, um divertimento, uma forma de quebrar a rotina. É normal, todos os homens têm. Mas, acredite que não tem absolutamente importância nenhuma. Agora, de facto, ter uma amante é imprescindível. E de preferência que a mulher nem saiba.”

Confesso em praça pública que a última frase me levou ao rubro da gargalhada, logo eu que já estava toda torcidinha de vontade de rir. O ar sério, concentrado, inocente, verdadeiro, puro, coerente, com que ele me disse tudo isto, deixou-me perplexa e uma vez mais “fascinada” com a mente masculina.

Perante tanta franqueza, não me apeteceu perguntar “então e se a mulher souber?”. Achei que para hilariante, estava bem assim.

Claro que por alguns instantes dei por mim a pensar se todos os homens pensarão assim que é mais ou menos como dizer, se a maioria das mulheres realmente não sabe, finge que não sabe ou não quer saber.

E só em jeito de rodapé……..acreditam que há primas que pensam exactamente o mesmo? E de preferência que a prima lá de casa nem saiba.