Queria aqui deixar palavras muito amargas e mal dispostas sobre os nossos candidatos à Presidência da República. Queria dizer mal, mas não me apetece. Prefiro acreditar que um deles vai cair em si e perceber que o País vais ser mais feliz sem os preconceitos que defende; outro vai finalmente praticar a qualidade que o seu nome apregoa; um terceiro sofrerá uma epifania e abandonará, finalmente, a cortina de ferro; o quarto vai formar mais uma ONG e deixar-nos os ouvidos em paz e sem os ecos da sua vozinha de caridade cristã; o quinto fundará uma nova escola de mornas e chorinhos; o sexto ganhará o euromilhões e salvará as ilhas do tubarão florido. Está tudo encaminhado. Vou tomar um chocolate quente.