Longe vão os tempos em que as pessoas se esforçavam, inventavam e faziam trinta por uma linha para que as coisas funcionassem. Não se mediam esforços para que o resultado final fosse o esperado e, para tanto houvesse engenho e arte, empenho e persistência nunca faltariam.

Talvez por isso, durante gerações as relações evoluiram, as familias solidificaram laços, as pessoas partilharam e partilharam-se no objectivo último do bem comum.

Estavam assim as coisas neste pé quando eis que a humanidade percebe que se pode demitir de pensar e de inovar porque há muito por onde escolher para nos fazer felizes. Não em nós, não naquilo que construímos até aqui, não nos projectos que sonhamos durante uns bons tempos. Nada disso.

O milagre chama-se upgrade.

Há vidas de sonho, há carreiras brilhantes, há carros incriveis, há maridos fieis, há mulheres sempre esbeltas, há filhos perfeitos, há patrões justos, há sogras queridas, há amigos presentes, então porque não fazer tudo isso nosso? Afinal de contas, tudo isso está ao nosso alcance através de um simples click ou de uma ida à Worten comprar o software mais indicado.

Instalado o novo programa e quando já esfregamos as mãos pela novidade que não só nos permitirá outros desempenhos como até melhorar aqueles com que já fomos bafejados, esperamos trasportar para a nossa vida uma realidade que não é nossa e que portanto não combina com a nossa anterior versão e por mais downloads que se façam nunca vão encaixar na nossa vida.

Esta incompatibilidade pode ser difícil de aceitar. Mas se com os outros resulta….mas se os outros têm……mas se eles conseguem….. mas se….então e se…..

O cerne da questão é compreender e aceitar sem mágoa, que a felicidade não se compadece de carros topo de gama, de jóias, de mulheres deslumbrantes, de homens musculados, de férias nas  Maldivas, de casas na Expo, de piscinas de água quente, da última versão do último modelo da ultima novidade de tudo o que o dinheiro possa comprar.

Bem melhor que tudo isso é saber que o upgrade da felicidade é feito dentro de nós. E por nós. E em nós. Porque só dessa forma ele é compativel com o que somos, fórmula única de podermos ser felizes.

E podemos fazer isso todos os dias, conversando mais, rindo mais alto, abraçando com mais força, amando com mais alma, beijando com mais paixão, dizendo mais vezes o quanto se gosta, se quer, se deseja, cozinhando mais vezes os pratos favoritos de alguém, ajudando sem esperar troco, partilhando essa fórmula mágica sobre a benção que é querer ser feliz.