Resolvi falar das ideias associadas ao meu nickname no Tangas por hoje ser um dia repleto de símbolos: um casamento real.

Quando me foi feito o convite/desafio para participar nas Tangas Lésbicas pensei em arranjar um nickname. Deambulei por várias possibilidades e acabei por me decidir por Köttur.

Köttur (Felis silvestris catus) é gata em Islandês.

Gata porque gosto de gatos e gatas (mais uma achega para o tema do post sobre cães ou gatos?) em Islandês porque a Islândia é um exemplo neste momento de crise económica global, pela forma como reagiu, e porque a Primeira-Ministra Jóhanna Sigurðardóttir é lésbica e a primeira chefe de governo que assume a sua homossexualidade.

Voltando aos símbolos que hoje pintam o mundo de vermelho, azul e branco: o casamento real. Para além do espectáculo da cerimónia, este acontecimento reflecte uma determinada realidade social e política. Sabiam que a monarquia britânica reina em diversos países do mundo, alguns tão distantes como a Austrália e a Nova Zelândia? Este ainda é um reflexo do imenso império britânico e do seu período colonial. E se pensarmos na hegemonia da língua inglesa, o império continua😉 e ainda mais alargado do que nunca.

Em relação ao simbolismo do casamento é interessante verificar que Elton John e o seu companheiro David Furnish foram convidados enquanto casal. No entanto, no Reino Unido o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é legal, existe apenas a figura de “parceria civil”. O movimento “Equal Love” ofereceu um cartão de casamento aos noivos com a seguinte mensagem: “Congratulations William and Kate on your Wedding Day. We wish you a happy life together. You can get married, gay people can’t. We are banned by law. We ask you to support marriage equality. Equal=Love.”

Podemos não concordar com alguns símbolos, podemos questionar as suas origens e significados, mas mais difícil é negar o seu impacto na forma como vivemos em sociedade.

Acham importante/desejável que o novo casal real apoie abertamente o casamento entre pessoas do mesmo sexo?