A ausência de mulheres visíveis no movimento LGBT é um discurso recorrente.

Na minha opinião o discurso sobre a ausência de mulheres visíveis no movimento LGBT alimenta-se mais de ideias preconcebidas do que de factos reais. Existem e sempre existiram muitas mulheres activas, participativas e visíveis no movimento LGBT. Os lugares que são percepcionados como tendo mais poder e visibilidade mediática é que podem ter tido um deficit de mulheres, mas mesmo esta ideia provavelmente tem mais a ver com a percepção do que com a realidade.

Repetir e alimentar este discurso também é uma forma de perpetuar desigualdades.

Esta foto é um testemunho! As mulheres estão presentes na luta pela defesa dos direitos LGBT, em maioria, visíveis e com um discurso maduro, forte e contagiante.

 
Numa comunicação apresentada no encontro sobre Activismo LGBT e Feminista, em Coimbra, 20 Novembro 2009, organizado pela UMAR, Não te prives, IPJ e Comissão para a Igualdade de Género, fiz um esboço sobre O movimento lésbico em Portugal.

Um projecto interessante pode ser acrescentar mais histórias a esta história e construir um testemunho colectivo da participação das mulheres no movimento LGBT.