Estava por acaso a folhear uns comentários sobre a recém-aprovada lei que permite aos cidadãos do estado norte-americano de Nova Iorque, do mesmo sexo, contraírem matrimónio, quando dei com uma pérola do politicamente correcto: Não se chamam lésbicas, mas sim mulheres que usam calçado confortável…
E ao repetir o comentário junto de um amigo que, sob muita insistência, se define como “delicado”, prontamente exclamou: Então eu sou o salto-agulha!