Ontem, mais uma vez, houve quem me perguntasse por que raio temos nós de ter um dia do orgulho, uma marcha do orgulho, orgulho de quê?
É tão simples que dói: temos, sobretudo, orgulho por não sentir a vergonha que os outros sentem e querem que sintamos.
Também temos orgulho porque sabemos:
– que não acreditamos nos disparates em que os “envergonhados” pelo orgulho teimam em debitar sobre nós;
– que a maior parte das pessoas que não nos aceita nem sequer o faz por acreditar nisso, mas porque também são educados para pensar assim e não conseguem libertar-se para pensar por si próprios;
– que temos uma noção exacta do que valemos e a paciência e a perseverância para ir contra tudo e todos, para modificar uma “norma” que, essa sim, é contra-natura;
– que as pessoas que mais nos atacam são as que deviam estar do nosso lado e só não estão porque também são vítimas de um preconceito.
E agora? Vão perguntar-me mais alguma vez por que é que temos orgulho?