Afffffffffffff…..foi duro, difícil, manhoso, mas acho que consegui. Estou de volta.

Minhas queridas companheiras destas lides bloguísticas, nem por um momento vos abandonei ou vos esqueci. Longe disso.

O que aconteceu foi que os últimos dias em Lisboa, com uma ida de quatro dias a Paris pelo meio, foram uma verdadeira loucura mas o que aconteceu depois não foi melhor.

Resumindo mesmo muito muito muito, no meu regresso a África do Sul, uma infecção pulmonar levou-me a viajar entre o limbo, médicos, hospitais, exames, raiox, ultra sons, antibióticos, termómetros a arder e eu absolutamente ko a pensar que já só regressava à lusa pátria, devidamente embalada. De tudo se suspitou, desde a malária, paludismo, pneumonia, hepatite….sabem como eu sou, tudo em grande, nada pela metade.

De facto não sei por onde andei nos primeiros oito dias aqui, tão grande era o padecer.

Mas o que importa é que já me sinto melhor e que aguardo que os próximos dias, talvez duas semanitas, me deixem perto da grande forma.

Cá para mim, esta história terá a ver com aquele friozinho manhoso na cidade Luz. Eu já conhecia como aquilo é mas desta vez esmerei-me e no dia da subida à Torre Eiffel, consegui ir com a camisola mais fresca que tinha na bagagem. Sei lá, fosse isso ou o facto de ter passado de um país onde se põe creme de hemorróidas na cara para alisar e tratar das rugas, para um onde Prada, Versage, Monaslisas, Louvres, são o dia a dia, qualquer coisa me fez transtornar os pulmões.

Quer queiram quer não, estes choques culturais não se levam assim, a seco.

Meninas e agora que já deixei o vosso coração tranquilo, vou ali dar uma pequena volta, preciso de recomeçar a viver nos mil por cento habituais. Bom, como a coisa está, setenta por cento já me parece bem….rsrs

E a propósito, alguém me informa como vão os passeios do Tangas?

Beijos e abraços.