A matar, foi como Zélia esteve em Cascais, onde as primas se fizeram representar com garbo e número. Muitas canções de amor e até a “velhinha” Catedral, muita energia e o apoio de Marta Morgado, de Lisboa, em língua gestual para ligar o show a quem também o pode apreciar na tradução devida.